26 de setembro de 2008

Atualização BRUTA Semanal

Salve, salve!

Religiosamente uma semana depois de nossa (re)estréia, estamos de volta! No post passado falei algo sobre postar todas as semanas, mas como achei muito vago, resolvi ser mais específico: toda quinta-feira de madrugada cai um post por aqui. E este fala de vários assuntos. COME ON!

A TV QUE NÃO TEM NA TV
De repente descobri os podcasts. Comecei a acompanhar vários, mas um dos meus sites de cabeceira colocou no ar seu videopodcast, o que merece ser comentado. São dois episódios por semana do OMELETV, do Omelete. Os episódios estão muito divertidos, afinal não é em qualquer programa de TV que você assiste um papo cabeça de quase cinco minutos sobre o que é ser nerd. INDISCUTIVELMENTE HILARIANTE!

DE OLHO NO NOVO BESOURO
A série antigaça Besouro Verde, da qual meu sogro é um grande fã, mostrava uma dupla de heróis (Besouro Verde e Kato) na boa e velha luta contra o crime. Um dos grandes chamarizes do folhetim era que o parceiro do protagonista, o oriental Kato, era nada menos do que Bruce Lee, o chinesinho mais karatê de todos os tempos. Já fazia uma cara que tentavam tirar do papel o remake-longa-metragem da série. Parece que agora sai. E promete. Já sabíamos que outro chinês maluco, Stephen Chow, diretor e protagonista do maravilhoso Kung Fu Futebol Clube (Shaolin Soccer) e do bom Kung Fusão (Kung Fu Hustle) seria um dos produtores, e o papel de Besouro Verde ficaria para o ator e roteirista Seth Rogen, uma das novas revelações da comédia norte-americana e parceiro criativo do bam-bam-bam Judd Apatow (produtor/diretor de filmes como Superbad, Ligeiramente grávidos, O virgem de quarenta anos, etc). Essa semana, sites de cinema do mundo inteiro divulgaram que Stephen Chow, além de produtor, será Kato e ainda de cara dirigirá o filme, com um roteiro de Rogen! Seth Rogen tem escrito as melhores piadas do cinema norte-americano nos últimos anos, e Stephen Chow tem uma visão muito divertida para filmes de ação. Resultado: esse vai ser para assistir no cinema com pipoca e tudo. Apesar de não ser fã da série, guardo imenso respeito por tudo que envolve Bruce Lee, o que dá um brilho mais especial ainda ao projeto. Se você quiser conhecer o Besouro Verde original, basta sintonizar na TV paga o canal TCM, que exibe Besouro Verde e milhares de outras séries clássicas. ALTAMENTE AGUARDADO!

SMALLVILLE E HEROES (OU ASSISTA LOST)
Estrearam nessa semana as novas temporadas de duas das séries mais comentadas dos últimos anos: Smallville e Heroes. Smallville, as aventuras do jovem Superman (esquece o Superboy, Sílvio Santos!) teve um fraquíssimo primeiro episódio, da que pode ser sua última temporada (oitava). A temporada passada, na minha humilde opinião, foi uma das piores (salvo pelos episódios que tem a participação da Liga da Justiça e outros personagens da DC, pouco se aproveita). A série claramente vem perdendo seu charme. Os dois produtores originais já deram o fora desta última (?) temporada, o que em minha opinião não é um bom sinal. Heroes também não veio de uma boa temporada. Por conta da greve dos roteiristas, teve que se contentar com apenas 11 chochos episódios no seu segundo volume. Muitos dos defeitos desse último retornam nos dois primeiros episódios do terceiro volume. São os velhos clichês (ou seriam plágios?) de sempre... Afinal, a história de Level 5, grande estopim da temporada, já tinha sido explorada em Smallville com seu Level 23 (é isso mesmo?!), uma prisão secreta para superpoderosos. Cadê a criatividade dos roteiristas? Falta ainda suspense e calma para desenvolver a história. Mas ainda é cedo para falar das duas séries. Talvez até eu só esteja mal acostumado. Fiquei bem mais exigente em se tratando de séries quando comecei a me desatrasar em Lost. Contrariando os elogios do meu irmão (um fanático pela série), demorei a começar a assisti-la. Atualmente estou no meio da segunda temporada (das quatro existentes) e o que posso dizer... Lost é uma das coisas mais sensacionais que já vi. Cada episódio tem uma produção digna de filme hollywoodiano. Os roteiros bem amarrados vão prendendo sua atenção até você se perceber obsecado por cada detalhe em cena. DEFINITIVAMENTE RECOMENDADO!

A VIRADA DO PEBA
Faltava um comentário no meu blog sobre a arrasadora seqüência cinematográfica que veio se tornar o maior blockbuster do cinema da minha cidade. Não, não estou falando de Batman – O Cavaleiro das Trevas*. Os insanos sobralenses das autodenominadas Organizações Kootooko lançaram no final de agosto o longa-metragem Golpe do Peba 2 – Porradaria Universal. Foram três dias de filas e lotação total nas duas salas do Cinema Renato Aragão. Pude prestigiar o filme e comprovo a evolução em relação ao primeiro. Produção mais caprichada, edição eficiente, lutas coreografadas e as mesmas piadas bestas com sabor sobralense. Um clássico nordestino instantâneo. Fica ainda mais engraçado para quem é de Sobral, pelo passeio pelas conhecidas locações. É quase um grande vídeo institucional da cidade, só que cheio de palavrões e efeitos especiais toscos. SIMPLESMENTE SENSACIONAL!

AUTOMERCHAN 1
Já que estamos falando de Sobral, divulgo através do meu blog o lançamento do primeiro vídeo-clipe da minha banda, Sobre o Fim, dirigido e editado por mim mesmo. A música escolhida foi o nosso “hit”, Sobre prisões e guerras, canção criada pelo meu companheiro de banda Helder “The Machine” Lemos. Filmamos em cinco horas sem gastar nenhum tostão, e até que não ficou de se jogar fora... Clique aqui para assistir. Muito bom voltar a trabalhar com vídeo depois da minha experiência com um curta-metragem uns tempos atrás. Agora é sentar e planejar o próximo (rumo a MTV!). INDISCRETAMENTE PRETENCIOSO!

AUTOMERCHAN 2
Depois de quase um ano, meu grupo de quadrinhos conseguiu lançar a segunda edição do Gattai Zine. São duas histórias: Camaleão, de Wescley “mazela” Braga, e MetalGênesis, de Alex Soares e de meu graaaaaaande amigo Totoro (mais conhecido por aí como Sílvio Romero). Tive o prazer de editá-la, e ficou legal, viu? Tudo indica que a próxima edição sai com dois roteiros meus. INDUBITAVELMENTE EMPOLGADO!


NÃO DEIXE DE VER: The Mindscape of Alan Moore
Sou fã inveterado de Alan Moore (roteirista de Watchmen, V de Vingaça, Do Inferno e milhares de outros clássicos dos quadrinhos). DeZ (com Z maiúsculo mesmo) Vylens teve a oportunidade de filmar o lindíssimo documentário The Mindscape of Alan Moore (sem nome em português e muito menos sem previsão para sair no Brasil). Quadrinhos? É quase um assunto secundário no filme, que mostra a opinião de Moore sobre os mais variados temas, como fama, sexo, religião e magia. O interessante é ver a mente doentia do bardo inglês criar relações entre esses assuntos. Moore dá uma verdadeira aula de filosofia e mostra (para quem ainda tinha dúvidas) que é definitivamente um GÊNIO. Enquanto não sai no Brasil, não nos resta outra opção a não ser levantar a bandeira pirata, certo? EXTREMAMENTE RECOMENDADO!

E para terminar uma nota sobre o adiamento do MASA 5, evento que organizo na minha cidade voltado para o público de animê e quadrinhos. Não fiz em nenhum lugar e muito menos será aqui que apontarei os motivos e culpados (se é que existem) para que tenhamos cancelado há exatos 30 dias do evento o que poderia ser um dos grandes momentos do entretenimento sobralense, a confirmação do quão grande o MASA havia se tornado. Simplesmente existem dificuldades que você não pode dobrar sozinho. Existem momentos em que essas dificuldades trespassam os limites e te impedem de dar atenção a outras prioridades na sua vida. E aí é o momento de parar e colocar numa balança se vale a pena acreditar naquele sonho ou se já é hora de passar para o próximo da lista. Nós simplesmente precisamos de tempo para pensar sobre isso. Espero que todos possam compreender.

Entonces... Hasta jueves!

* Acho que faltava dizer isso aqui no blog: QUE PUTA FILME!

19 de setembro de 2008

O homem

Olá, viajante! Bem vindo ao mundo desse homem chamado Zé Wellington.

Você já deve conhecer os motivos deste blog, mais um blog. Mas quem é o homem?

Sou formado em Administração, pela Universidade Estadual Vale do Acaraú, em Sobral/CE, cidade onde nasci e onde até hoje traço diariamente meus planos de dominação mundial. Apesar de trabalhar na minha área de formação (sou técnico do SEBRAE), a arte sempre foi determinante na minha vida. Faço música, vídeo e textos sempre quando meu tempo me permite. De certa forma esse blog serve para expurgar todas essas coisas da minha cabeça para um lugar onde meu ego possa ser saciado.

Música
Desde 2002 estou envolvido dentro do movimento underground de Sobral, seja tocando em banda como organizando eventos (em parceria com a Casa de Rock Produções ou com a Em Pauta Produções e Eventos). As bandas foram muitas: Kissuki di Gohyaba, Los Hombres, Fugere, Devasttus, Kul-Jara e 4all são algumas delas, mas atualmente a bola da vez é a Sobre o Fim, que vem ganhando espaço dentro do cenário musical nordestino. Mais informações em www.sobre-o-fim.blogspot.com.

Contos/Quadrinhos
São mais de 10 anos entre quadros. Nos últimos resolvi escrever quadrinhos também (por que desenhando nunca saiu muita coisa). Escrever roteiros me levou a escrever contos. Publico boa parte destes trabalho aqui mesmo no blog. Os quadrinhos podem ser encontrados também no Gattai Zine, fanzine de quadrinhos que edito em Sobral. Mais informações em www.gattaizine.blogspot.com.

Vídeo
Em 2004 iniciei uma empreitada nova, o MASA, Mostra Sobralense de Animação. Na época comecei a ensaiar meus primeiros trabalhos com vídeo. No meu canal do Youtube pode-se ver vários deles. Destaco dois trabalhos: o curtametragem O canto, dirigido por mim e por Andrea Venini, e o primeiro vídeo-clipe da Sobre o Fim, Sobre prisões e guerras, que dirigi e editei.

O canto

Sobre prisões e guerras

MASA
O MASA é sem dúvida um grande momento da minha vida. Em um final de semana, Sobral tem um grande evento de entretenimento voltado para crianças e adultos. São reunidas pessoas com várias afinidades diferentes: animês, quadrinhos, RPG, card games, artes marciais, videogames, etc. Foram 4 edições (entre os anos de 2004 e 2008) e dois eventos extras. O MASA faz parte da CECO, Conselho de Eventos da Cultura Oriental no Ceará e foi precursor de uma série de outros eventos que surgirão em Sobral e região norte, sendo que em muitos deles fomos parceiros dos realizadores. Mais informações: www.animasa.com.

18 de setembro de 2008

Blogar para viver.

De repente você olha para você e vê que muito está se perdendo. Como você percebe isso? Pergunte-se agora: o que você mais gosta de fazer? Agora se pergunte de novo: quanto da sua vida você gasta fazendo isso? Parece início de texto motivacional, né? Eu odeio textos motivacionais. Mas eu gosto de escrever. Não fiz jornalismo, nem letras, nem português, nem nada assim. Mas escrever sempre foi o motor da minha vida. Contar histórias. Ou simplesmente escrever sobre as coisas. Eu devia ter uns 12 anos quando encuquei de fazer uma história em quadrinhos. Acho que nessa época a única coisa que tinha lido de quadrinhos era Turma da Mônica. Estavámos no auge dos Cavaleiros do Zodíaco, e pensei numa história que envolvia um torneio com robôs (?). Mas meu desenho era uma caca. Tinha pegado, há alguns meses, uma revista ensinando a desenhar. Era a primeira edição, coisa básica. Com algumas formas geométricas você tinha um esboço de pessoa. Eu fiz do esboço o desenho principal e mandei ver. Fui bem longe. Desenhei umas 8 páginas. Claro que achei um lixo. Nem sei por que guardei. Só soube que não sabia desenhar. Por ironia do destino, meses depois me tornei um "hq maníaco". De verdade. A Teia do Aranha, edição 98: "Peter Parker & Ben Reilly: quem ficará?", estampava a capa. Se você gosta de quadrinhos, vai perceber que era a tenebrosa Saga do Clone, considerada uma das piores do aracnídeo. Eu adorei. Consumi vorazmente quadrinhos nos anos subseqüentes. Mas faltava aquele estopim, aquela virada. E me emprestaram Watchmen. Subitamente as revistas mensais pareciam não ser suficientes, havia algo mais. E pronto. Eu já estava dominado. Mas minha paixão por quadrinhos pode ser o tema de outro texto. O que importa é que, como tudo na minha vida, resolvi me envolver "pra valer". É... é meio que um(a) qualidade/defeito minha/meu. Não basta ser viciado: tem que participar. E eu quis fazer quadrinhos. Mas quadrinhos envolvem texto e desenhos, certo? Minha última tentativa de desenho foi aquela... humanos com figura geométricas... Eu sabia que peitos quadrados não faziam sucesso. Sem desenhos, só me restava escrever. Pausa para um interlúdio. Início de 2002: estouram os BLOGs. Todo mundo falava disso... Eu precisava ver como isso funcionava! Mas lá vai meu/minha defeito/qualidade... Fiz um bendito blog. Foi meio que um local para desabafos juvenis. Escrevia sobre o que acontecia comigo, sem muita regra. Escrevia sobre as coisas que eu via, sem muita pesquisa. Foram textos que... vamos dizer... poderiam ser melhores. Postei com muita intensidade no início, mas na minha vida eu viria a me interessar por mais coisas e também entrar de cabeça nelas (qualidade/defeito), deixando o blog cada vez mais de lado... Quando eu precisava dele PARA VIVER. Dramático, hein? É a velha frase de efeito que soa incompreensível, mas que se explica nas linhas seguintes (sem querer ser metalinguístico demais). Os posts dimuíram de freqüência. O blog morreu e voltou várias vezes, com pausas de um dia a um ano. Tentei mudar o visual para ver se isso me "atraía" novamente. Por um período até funcionou. Por ironia do destino, enquanto trabalhava naquele que considero o pior trabalho que tive na vida, comecei a usar meu tempo livre para escrever. O blog viu uma produção intensa sobre CINEMA, QUADRINHOS e outras nerdices. Na época não conhecia um desenhista que pudesse realizar o meu sonho de ver meus quadrinhos "vivos", e o blog saciava essa frustração. Mas uma enxurrada de trabalho, estudos e outras "pessoalidades" ajudou a me distanciar disso. Mas deixar de escrever sempre foi muito doloroso. E eu decidi que era hora de voltar. Escrever é preciso. E aqui estou. Para tentar mais uma vez. Prometi a mim mesmo que esse espaço verá ao menos uma postagem por semana e estou acreditando que dessa vez chego lá. Para falar sobre as mesmas coisas de sempre. Quadrinhos. Hardcore. Cinema. E, por que não, de mim mesmo.

Então fica o convite para essa jornada solitária de mais um blogueiro que muitas vezes escreve apenas para si mesmo. Em um blog de um só homem. Por que no final o que importa não é receber os comentários pelo que está escrito. Como certa vez eu ouvi: a viagem é mais importante que o destino. Quando esse texto chega em você, ele já atingiu seu objetivo há muito tempo. Por que para mim, blogar é viver. (E lá se vai aquele clichê de terminar o texto com o título)